Notícias

Pesquisas: Covid-19 sob a perspectiva da política online e da democracia digital

19/06/2020 Por Rodrigo

Novos fenômenos sociais rendem novas demandas por pesquisas. É por isso que diversos pesquisadores e pesquisadoras do INCT.DD, em um constante processo de articulação em rede, estão debruçados sobre dados, informações e referências a respeito do Covid-19 com o intuito de compreender como uma crise sanitária impacta nos mais variados aspectos da política e da democracia.

As pesquisas que estão listadas abaixo estão em modo contínuo de produção e demonstram uma grande variedade de abordagens. Confira:

 

> > Transparência e segurança dos dados públicos

A transparência das informações epidemiológicas e financeiro-orçamentárias da pandemia da Covid-19 nos governos estaduais brasileiros

Qual o objetivo da pesquisa?
A pesquisa em andamento tem como principal objetivo avaliar qual o nível de transparência das informações epidemiológicas e financeiro-orçamentárias da pandemia da Covid-19 nos governos estaduais brasileiros. Foram prospectados em todos os estados brasileiros e no DF: portal oficial do governo, portal da transparência, portal de dados, portal secretaria de saúde do governo e portal especial Covid-19 para a coleta de informações referentes aos casos epidemiológicos e financeiro-orçamentárias. O período da coleta foi entre 2 e 19/6/2020. O instrumento metodológico desenvolvido conta com duas dimensões, que avaliam, respectivamente, a transparência de casos epidemiológicos e de informações financeiro-orçamentárias. Ao fim, discute-se: há transparência nos dados e informações divulgados? qual o “nível” dessa transparência? É suficiente para informar aos cidadão sobre o avanço do COVID-19 ou sobre de que modo está sendo gasto o dinheiro público designado para a pandemia? é suficiente para dar subsídios aos gestores estaduais para direcionarem as tomadas de decisão relacionadas a pandemia, de modo a orientar e melhorar políticas públicas?

Pesquisadores Envolvidos:
Maria Paula Almada (UFBA), Paula Karini Amorim (IFTO), Nina Santos (UFBA), Camilo Aggio (UFMG) e Maria Dominguez (UFBA).

Saiba mais:
Em debate, parte da equipe da discute parâmetros conceituais e metodológicos da pesquisa, dentre outros assuntos.

 

Aplicativos de Covid-19 e segurança de dados dos cidadãos

Qual o objetivo da pesquisa?
A pesquisa analisa o nível de respeito à privacidade dos usuários em aplicativos de monitoramento da COVID-19 no Brasil. A partir da engenharia reversa e análise estática de executáveis para o sistema Android e da raspagem e análise das políticas de privacidade e informações nas páginas destes aplicativos na loja da Google estudam-se os múltiplos vetores através dos quais não somente a privacidade do usuário pode ser atacada, mas também o nível de compliance com instrumentos jurídicos como a LGPD e o Marco Civil da Internet.

Pesquisadores envolvidos?
João Guilherme Santos (UFBA) e Alexandre Teles (UFBA)

 

 

> > Mídias sociais e circulação de informação

Fontes de informação como mediadores: quem alimenta redes pró e contra Bolsonaro durante a pandemia do Coronavírus

Qual o objetivo da pesquisa?
A pesquisa tem por objetivo identificar as fontes de informação utilizadas por pessoas que defendem e criticam a atuação de Jair Bolsonaro frente à pandemia do Coronavírus. Encarando as fontes de informação como mediadores midiáticos, propomos uma categorização dos sites que aparecem em corpora de mídias sociais e aplicativos de mensagens instantâneas. Além da identificação e categorização das fontes de informação, a comparação entre os corpora de diferentes posições políticas permitirá compreender as diferenças na composição do ecossistema midiático e seus impactos políticos.

Pesquisadora Envolvida:
Nina Santos (UFBA)

Saiba mais:
Em texto publicado no Especial Coronavírus da Compolítica, a pesquisadora discute alguns resultados preliminares.

 

Ciência contaminada: analisando o contágio de desinformação sobre coronavírus via YouTube

Qual o objetivo da pesquisa?
Ciência Contaminada é o primeiro de uma série de estudos e analisa o uso do YouTube para a disseminação de desinformação (“Fake News”) na internet. Valendo-se de análise de redes, metodologias quantitativa e qualitativa, esse projeto monitora e mapeia as sucessivas ondas com potencial de desinformação que ocorrem em torno do tema da Covid-19, através de metodologia computacionais, como análise de rede e processamento de linguagem natural, abordagens quantitativas. Estudam-se as múltiplas investidas contra instituições que produzem informação de utilidade pública, incluindo o Ministério da Saúde, as secretarias de saúde estaduais e municipais, e mesmo órgãos internacionais como ONU e OMS. A partir desses dados, o projeto constata os principais ambientes e fluxos de informação falsa.

Pesquisadores Envolvidos:
João Guilherme Santos (UFBA) e Nina Santos (UFBA)

Saiba mais:
Primeiro relatório de pesquisa foi publicado e destaca a rede de desinformação sobre covid-19 no youtube

 

Observatório do Coronavírus: A comunicação do líderes mundiais via Twitter

Qual o objetivo da pesquisa?
O presente estudo faz parte do esforço de entender como os líderes mundiais se comunicaram durante seis meses – janeiro a junho de 2020 – de proliferação da Covid-19. A plataforma escolhida para a análise, o Twitter, se deu pela possibilidade de uma comunicação rápida, além da ampla utilização por agentes políticos e do forte potencial de repercussão, não apenas dentro da rede social digital, como nos meios de comunicação tradicionais. Em relação a seleção dos líderes, recortou-se uma amostra com diversidade de sistema político e região do globo: 1.Boris Johnson (Reino Unido); 2.Justin Trudeau (Canadá); 3.Sebastián Piñera (Chile); 4.Cyril Ramaphosa (África do Sul); 5.Pedro Sanchez (Espanha); 6.Narendra Modi (Índia); 7.Andrés Manuel Obrador (México); 8.Nicolás Maduro (Venezuela); 9.Alberto Fernandez (Argentina); 10.Emmanuel Macron (França); 11.Donald Trump (EUA); 12.Jair Bolsonaro (Brasil); 13.Katrín Jakobsdóttir (Islândia); 14.Giuseppe Conte (Itália).

Pesquisadores Envolvidos:
Pedro Mesquita (UFBA) e Rodrigo Daniel Silva (UFBA)

 

Embates e silêncios: Lideranças Partidárias do Legislativo no Twitter em tempos de Covid-19

Qual o objetivo da pesquisa?
A estabilidade do presidencialismo brasileiro depende em grande medida da construção de base legislativa fortalecida no Congresso Nacional. É central que o Executivo consiga estar bem alinhado com os líderes partidários, figuras que tem grandes poderes de agenda dentro da arena legislativa. No entanto, o governo de Bolsonaro apresenta hoje a menor base desde Collor, sendo ela fragmentada e de fidelidade questionável, resultante do discurso anti-instituições e da negativa em negociar com as lideranças legislativas.Entendendo que a internet tem se constituído como lugar central para o debate político, inaugurando inclusive o fenômeno da Twittocracia, onde atores políticos utilizam a plataforma a publicização de seus posicionamentos. Este trabalho analisou o discurso das 28 lideranças da Câmara dos Deputados em um mês que potencializou os debates entre Oposição e Maioria – abril de 2020 -, por conta da pandemia da Covid-19, consolidando o desmantelamento da coalizão governativa e isolamento do Executivo federal.

Pesquisadores envolvidos:
Helga Almeida (UNIVASF) e Larissa Peixoto (UFMG)

 

#FechadocomBolsonaro: um estudo sobre o apoio dos bolsonaristas da Bahia ao presidente durante a pandemia

Qual o objetivo da pesquisa?
A pesquisa tem como objetivo verificar se as narrativas construídas pelo presidente Jair Bolsonaro, na pandemia de coronavírus, tiveram apoio dos seus aliados na Bahia. Neste sentido, o estudo avalia os tweets de quatro bolsonaristas do estado, com mandatos legislativos, entre os dias 25 de março e 25 de maio. Durante este período, o chefe do Executivo se manifestou contrário ao isolamento social – embora a Organização Mundial de Saúde (OMS) defenda como uma medida para evitar a disseminação da doença – e a favor do uso da cloroquina no tratamento de pacientes com covid-19, mesmo sem comprovação científica da eficácia do medicamento. Também entrou em conflito político com o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e com instituições, como o Supremo Tribunal Federal (STF). O corpus deste trabalho é composto de 496 mensagens colhidas diretamente dos Twitter dos deputados estaduais baianos Talita Oliveira e Capitão Alden, ambos do PSL, e dos vereadores de Salvador, Cezar Leite (PRTB) e Alexandre Aleluia (DEM).

Pesquisadores Envolvidos:
Rodrigo Daniel Silva (UFBA) e Thiago Freire (UFBA)

 

 

> > Democracia digital e inovações em contexto de pandemia

Inovações Democráticas Digitais para Produção Colaborativa de Instrumentos de Ação Pública em Tempos de Pandemia

Qual o objetivo da pesquisa?
A pesquisa visa compreender como as inovações democráticas digitais colaboram, no Brasil, para a solução de problemas públicos em tempos de pandemia.

Pesquisadores envolvidos:
Christiana Freitas, Luciana Capiberibe, Luisa Montenegro, Carlos Torres, Giovana Lima, Grazielly Lima, Barbara Trindade, Beatriz Lima, Tiago Coutinho, Maria Eduarda Nunes, Beatriz Santana, Breno Santos, Cecília Cipriano, Orestes Araújo, Alexandre Conceição, Adi Spezia, Magno Gomes, Heitor Lomeu, Giovanna Lemos

Saiba mais:
em artigo publicado na Revista Nau Social, a coordenadora da pesquisa, professora Christiana Freitas, discute questões sobre governança tecnopolítica em tempos de pandemia

 

As tecnologias digitais de comunicação e a pandemia do coronavírus: questões de democracia digital, governo eletrônico e deliberação pública

Qual o objetivo da pesquisa?
A pesquisa tem por objetivo investigar as aplicações digitais empreendidas por governos em resposta à pandemia do coronavírus. Serão prospectadas e analisadas iniciativas digitais desenvolvidas como resposta às consequências desta pandemia para a saúde pública, o bem-estar social e a economia. A pesquisa se orienta por três questões de pesquisa: 1) Quais tecnologias digitais de comunicação têm sido empregadas pelos governos no esforço de resposta ao coronavírus? 2) Essas iniciativas fortalecem valores, relações ou processos democráticos? 3) As iniciativas facilitam o acesso a serviços prestados pelos governos? 4) Como têm se configurado a deliberação pública sobre as iniciativas digitais que os governos têm levado a cabo em resposta à pandemia? A pesquisa será realizada em cinco fases: i) prospecção geral das iniciativas do executivo e legislativo federal, ii) prospecção do executivo e legislativo estadual, iii) prospecção do executivo municipal, iv) estudo dos tipos de iniciativa mais recorrentes, bem como dos casos mais relevantes, v) análise da discussão pública relacionada às iniciativas digitais dos governos e de como a sociedade, em algumas situações, está colaborando para respostas digitais aos problemas decorrentes da pandemia.

Pesquisadores Envolvidos:
Samuel Barros (UFRB), Carla Rodrigues (UFBA), Thiago Freire (UFBA), Gabriella da Costa (UFBA), Juliana Marinho (UFBA), Eurico Matos (FGV-DAPP/INCT.DD), Tatiana Aneas (UFS) e Ébida Santos (UnB)

Saiba mais:
Coordenador do projeto, Samuel Barros apresenta resultados preliminares da pesquisa em evento sobre transformações sociais no mundo pós-covid